A força do Agronegócio Brasileiro!

Precisão

O Mundo tem vivido nos últimos meses, um momento delicado, de muitos prejuízos e incertezas. Mas, apesar disso, o Brasil vem contando com um forte aliado: o Agronegócio. Segundo a Ministra da Agricultura, Tereza Cristina, o Agronegócio foi o motor da economia e não deixou o PIB brasileiro cair mais que o previsto, pois gerou riquezas para o país e ainda proporcionou empregos.

Um fator importante que proporcionou esse sucesso foi a safra recorde de grãos 2019/2020. Para a Ministra Tereza Cristina, esse recorde aconteceu devido ao investimento em pesquisa e desenvolvimento, além da boa chuva na maior parte dos estados brasileiros no início do ano. Também foi de suma importância uma articulação feita com o Ministério da Infraestrutura, para impedir problemas de logística e evitar desabastecimentos.

É importante destacar também o bom crescimento das exportações brasileiras, que aumentaram em 10% no primeiro semestre de 2020, em relação ao mesmo período do ano anterior. O Brasil passou a exportar alimentos para 51 novos mercados apenas este ano, e já soma 89 considerando-se os do ano passado.

As boas notícias não param por aí. A previsão é que o Agronegócio cresça ainda mais. As exportações brasileiras poderão ser impulsionadas pela carne bovina, pois com o reconhecimento de quatro estados – Acre, Paraná, Rio Grande do Sul e Rondônia – e de regiões do Amazonas e do Mato Grosso como áreas livres de febre aftosa sem vacinação, a carne bovina desses estados possivelmente será liberada para exportação sem aplicação de vacina, o que irá valorizar o produto no mercado internacional.

Outro sim, o investimento no setor da agricultura será pesado. A safra de 2020/2021 começa a ser plantada neste semestre, e conta com o Plano Safra, que destinará R$ 236 bilhões em crédito subsidiado para os produtores rurais. Neste ano, o plano privilegia os pequenos e médios produtores, que tradicionalmente têm mais dificuldade de acesso ao crédito; além disso, o plano prestigia projetos de sustentabilidade e de tecnologia da informação no campo.

Como se já não estivesse sendo essencial o bastante, o Agronegócio ainda vai proporcionar o aumento do PIB em alguns estados brasileiros. Há apenas cinco deles que vão terminar com o PIB maior do que no período pré-pandemia – Mato Grosso do Sul, Pará, Mato Grosso, Goiás e Rio de Janeiro- e serão impulsionados pelas produções agrícolas e minerais.

Assim, não há como deixar de reconhecer que uma vez mais o Agronegócio será o responsável pelo crescimento da economia brasileira, isso porque, mesmo em um cenário pós-pandemia, da qual muitos países estarão sofrendo as consequências, o mercado de alimentos estará a todo vapor e, consequentemente, o Brasil produzirá e exportará mais e adotará a cada dia maior relevância no cenário mundial.

 

FONTE: Agência Brasil/Canal Rural/Paraná Cooperativo

Precisão Recuperação de Crédito