OS IMPACTOS DO PLANO SAFRA 2020/2021

Precisão

Junto ao início da safra 2020/2021 também entrou em vigor o novo Plano Safra, plano esse que visa a liberação de R$ 236,3 bilhões em financiamentos para pequenos, médios e grandes produtores, cerca de R$ 10 bilhões a mais do que anunciado na safra passada. O recurso começou a ser liberado nesse mês de julho e segue até junho do ano que vem. 

O valor total do plano desta temporada será distribuído da seguinte maneira:

  • R$ 33 bilhões para agricultores familiares participantes do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf);
  • R$ 33,20 bilhões para médios agricultores (Pronamp);
  • R$ 170,17 bilhões para demais produtores e cooperativas.

Do total, R$ 179,38 bilhões serão destinados a linhas de crédito, custeio e comercialização e R$ 56,92 bilhões serão para investimentos em infraestrutura.

O Ministério da Agricultura informou que as taxas de juros, para custeio, comercialização e industrialização, serão de:

  • 2,75% a 4% ao ano para pequenos produtores, participantes do Pronaf.
  • 5% ao ano para os médios produtores, participantes do Pronamp;
  • 6% ao ano para os grandes produtores.

Os produtores rurais já podem acessar os recursos para financiamento nos bancos que operam com crédito rural e nas cooperativas de crédito.

O agronegócio é reconhecido como decisivo para o crescimento econômico brasileiro. No último boletim da Conab de junho, a estimativa da produção brasileira de grãos da atual safra (2019-2020) é de 250,5 milhões de toneladas.

Apesar do surto do novo Covid-19, o PIB do setor agropecuário brasileiro deve ter alta de 2,5% em 2020, impulsionados pela soja, milho, cana de açúcar e café. A previsão é do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), com base em dados do IBGE. 

Em 2019, a soma dos bens e serviços gerados pelo Agronegócio chegou a R$ 1,55 trilhão ou 21,4% do PIB brasileiro.

O Valor Bruto da Produção Agropecuária (VBP) deste ano, de acordo com dados atualizados em maio, está estimado em R$ 703,8 bilhões, 8,5% acima do obtido em 2019 (R$ 648,4 bilhões). 

As exportações do Agronegócio no acumulado do ano – janeiro a maio – foram de US $ 41,9 bilhões, representando quase a metade das vendas externas do país. Os principais embarques foram o complexo soja (grãos, farelo e óleo) e as carnes (bovina, suína e de aves). O valor representa alta de 7,9% em relação ao quadrimestre no ano passado. 

Sendo assim, o Plano Safra contribuirá para garantir a continuidade da produção agrícola de qualidade e com todos os recursos necessários, proporcionando abastecimento de alimentos no país durante e após a pandemia do novo Coronavírus, além de fomentar a economia do país gerando oportunidade de investimentos, desenvolvimento e geração de emprego.

 

Precisão Recuperação de Crédito