Serasa Experian é credenciada pelo Banco Central para operar com o novo Cadastro Positivo no Brasil

Precisão

 A partir desta sexta-feira (11), a Serasa Experian está credenciada pelo Banco Central para operar integralmente com o novo Cadastro Positivo em todo o Brasil. A Lei que rege o novo sistema já estava em vigor desde o último dia 9 de julho, mas dependia da edição de regras complementares e da avaliação dos requisitos técnicos e operacionais do Gestor de Banco de Dados junto ao Banco Central para o recebimento de dados de instituições financeiras.

Para a Serasa Experian, a inclusão automática dos consumidores e empresas no Cadastro Positivo é um avanço para o mercado de crédito brasileiro e a mudança poderá trazer benefícios significativos para toda a sociedade, pois pode favorecer o bom pagador, já que aqueles que pagam pontualmente suas contas podem ter taxas e condições mais favoráveis para a obtenção de crédito; reduzir o risco de superendividamento, na medida em que a informação de quanto o consumidor já tomou de crédito no mercado permite a criação de ofertas compatíveis com a sua real capacidade de pagamento; e ampliar o acesso ao crédito, pois trabalhadores que não possuem um emprego formal, por exemplo, podem conseguir demonstrar a sua capacidade de pagamento.

“O Brasil passa a seguir uma tendência internacional praticada há muitos anos em análise de risco de crédito em países economicamente relevantes como Estados Unidos, Alemanha, China, Austrália, entre outros. Estamos prontos para fazer com que o Cadastro Positivo seja uma realidade que mude de vez as relações creditícias no nosso país”, diz o presidente da Serasa Experian e Experian América Latina, José Luiz Rossi.

De acordo com estudo feito pela Serasa Experian, o Cadastro Positivo pode beneficiar cerca de 137 milhões de brasileiros, o que significa 88,5% da população adulta. Fazem parte deste total os 22,6 milhões de cidadãos (14,6% da população adulta) que atualmente estão fora do mercado de crédito e que podem ser incluídos por já apresentarem um histórico favorável de adimplência. O levantamento revela ainda uma possível redução de juros para 74% das pessoas acima de 18 anos que hoje possuem acesso ao crédito.

O estudo – feito a partir de simulações baseadas em modelos estatísticos de score (pontuação de crédito) da Serasa Experian – também revela que a adoção do Cadastro Positivo deve gerar uma injeção da ordem de R$ 1,3 trilhão na economia do país. Esse maior potencial de consumo teria impacto de 19,6% na relação crédito x PIB (dos atuais 47,4% para 67,0%), movimentando diversos setores econômicos.

Detentora do maior banco de dados da América Latina, a Serasa Experian alavanca a inovação desenvolvida em seus DataLabs e a expertise global da Experian, adotando os modelos de sucesso praticados nos Estados Unidos e Reino Unido, por exemplo, para calcular o Serasa Score, e demonstra sua capacidade global de transformar dados em informações valiosas para consumidores e empresas.